segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

O grande Encontro De Vilões
























Dedicado a uma das minhas influências como pseudo-escritor e poeta transão... Santiago Salinas Crow, o "Poeta Corvinídeo" hahahaha 




boêmia vilania,
uma mesa é o terror no bar,
das antigas, camaradas
rivais,
que se puseram a encontrar
um ao outro,
novamente,
sem mentir,
usar, passar a perna, fingir,
ou querer
quem quer que seja assassinar,

whisky abundante,
anuviante, o queimar nos cinzeiros,
fumaça farta, até engasgar,
qualquer aproximado,
infeliz infortunado
será, se lhes for ali interferir,
desamores retratados,
com detalhes, relato de psicopata,
até de feios quitutes de velório,
ou antipatia de funeral,
era tudo grande merda,
antigamente era melhor...

e eu assisto,
sem aplauso, o terror,
da conversa,
o brilhar nos olhos,
o admirar, dum filme ao vivo,
em gargalhadas,
sem cortes,
a falar dos cortes,
sem dublê pro ator,
o meu querer,
como eles ser, quando crescer,
- isso é tão legal!
do balcão sair,
e uma cadeira pegar e dizer,
o quanto fiz também,
sem ninguém descobrir.


Nenhum comentário:

Postar um comentário