terça-feira, 1 de janeiro de 2013

Rock N Roll




não quero escutar mais nada
que não seja Rock N Roll,
mas não estes mariquinhas
de musicas chatas
só pra molhar calcinhas.

eu não quero escutar mais nada,
que não seja coisa pesada,
guitarras que rasgam,
baixos galopantes, baterias que esmagam,
teclados que falam por si,
um vocal gutural, sem mesclar com pop.

abominando cada estilo alheio,
que não seja o meu,
anseio um que diga, sem dizer,
sem eu precisar entender,
tudo aquilo que me aconteceu.

e então, eu só desejo gritar,
junto, sem saber cantar,
destemendo errar, uma letra
que de certo sei eu boa ser.
algo que me instigue a brigar,
chutar, urrar, bater,
em meus demônios calados,
do inferno enviados,
para a alma de um bom jovem cristão.

tolinho, eu era, queria ser exemplar,
que pena que não deu, me deixe fumar,
beber, trepar o quanto quero, extasiar,
tal virulência de uma alma virginal,
aprisionada no desconhecer da maldade,
que de maldade, só compartilha o nome.

tolinho, eu era, um infeliz normal,
um aprendiz de boçal,
temendo o diabo, feliz com natal,
sem querer dar cabo,
de tanta imbecilidade humana,
aceitação profana
deveras insana,
assim vejo, a criança que fui...
e agora, o meu messias que sou.






















Nenhum comentário:

Postar um comentário